Orelhas do livro Poesia Visual

Segue abaixo texto escrito para as orelhas do livro "Poesia Visual".

Poesia Visual – Um Guia para a Inspiração e Criatividade Fotográfica
Editora: Alta Books
Edição:
Autor: Chris Orwig 

Não, este não é mais um livro que versa apenas sobre fotografia e suas técnicas. Sim, existem técnicas, mas que são muito mais que um horizonte de flashes. Ele carrega em si todo o peso de um conceito até então conhecido por muitos como gráfico: a poesia visual.

Quando a poesia visual surgiu pela primeira vez, primava pelo rompimento da ditadura dos textos discursivos e cerrados em páginas com regras, e seguiu ao encontro a um novo olhar: a plástica e a desestruturação do signo linguístico onde a disposição do "quadro" poético pudesse transmitir várias ideias em simples grafismos. Dessa premissa, o sentimento de simplicidade e impulso tornaram-se o foco do escritor e de seus flashes do cotidiano.

Este livro vai além da concepção fotográfica comum e une o conceito vanguardista da poesia visual – e de toda a poesia minimalista – ao conceito do olhar apurado e à técnica fotográfica da precisão. Chris Orwig reflete a síntese dos grandes escritores como Mário Quintana, Oswald de Andrade, e nos mostra aquilo que para muitos pode ser natural, mas para ele é poesia. Tudo isso por meio de uma lente, de um clique, sem signos ou recursos gráficos, apenas a pureza e a transparência de um momento. Essa é a arte de captar a vida e transformá-la em quadros.

Poesia Visual é um livro de fotografias que permite a visão sintética da poesia, onde o pouco se torna muito e o óbvio pode revelar e exteriorizar emoções. Espere encontrar nestas páginas muito mais que simples fotos. Espere se emocionar ou ter a impressão de que a vida é diferente daquilo que você conhece. Elas guardam, além de dicas magistrais de um excelente fotógrafo, o grande mistério da existência, as lembranças, a pura expressão artística aliada a técnica máxima de um poeta das lentes.

No sorriso, na chuva, na natureza, e até mesmo na serenidade de um rosto abatido pelo tempo, a poesia está condensada em todas as imagens. Podemos teorizar sobre cores, composições e técnicas, mas é impossível conceituar a expressão da emoção artística. E essa expressão você encontrará nestas páginas.

Se a poesia também é feita de flashes da vida, Chris Orwig é um poeta nato da fotografia. Não utiliza a tinta nem a pena dos grandes poetas clássicos, mas carrega em si o mais importante, vital, para a poesia: a visão intuitiva, condensada, sintética e sentimental que cede vida aos grandes e belos poemas da humanidade.

Angel Cabeza
Poeta e escritor
Autor de Vidro de Guardados e A Beleza do Feio

5 comentários:

Carlos Amorim (carmim@hotmail.com) disse...

Comprarei o livro apenas pelas orelhas. Belas!

Um livro assim deve ser excelente, pois o escritor que gabarita as orelhas é excelente.

Qual a editora?

Abraços

Renata de Aragão Lopes disse...

Lindas orelhas!

Deu-me vontade de conhecer as fotografias, arte que tanto admiro!

Um beijo,
Doce de Lira

Ludmila S. disse...

Quero o livro para guardar as orelhas e me encharcar nas fotos.

Beijos.

Excelente orelha.

Rita Schultz disse...

Se a apresentação é assim, imagino as fotos!
Gostei!

tania.cabeza33@gmail.com.br disse...

Texto escrito de forma clara e admissível com ceteza seu texto enaltece ainda mais esta obra maravilha que é as fotografias. Parabéns!
Da sua...Tanya Cabeza!